quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Reutilizando a água da lavagem de roupas


Comecei a reutilizar a água da lavagem de roupas para limpar banheiro, área de serviço e piso. É um pouco trabalhoso carregar a água em baldes, pode até trazer um certo desconforto lombar nas primeiras vezes, mas pense na ação de estar contribuindo para economizar a água e, de quebra, diminuindo também o consumo do material de limpeza, pois, a água da esfrega contém sabão e então para a limpeza cotidiana é só usar a vassoura.

Agora não acho interessante lavar todas as roupas num único dia. Dividir em duas ou três lavagens, dependendo da quantidade semanal, proporciona a chance da faxina do banheiro e até mesmo de pisos e área de serviço poder ser realizada regularmente.

E você, já experimentou reutilizar a água? Conta pra mim!

terça-feira, 25 de março de 2014

Gostei, postei, compartilhei...

Coisas interessantes devem ser compartilhadas mesmo que tenhamos que fazer uma divulgação um tanto quanto zero oitocentos rsrsrsrs .
De repente passei AQUI e por acaso do destino encontrei essas lindas sugestões de acessórios em crochê. Acho um trabalho maravilhoso! Não sou prendada a ponto de me arriscar a fazer um desses para mim, mas confesso que estou com inveja da Angelina... Que bolsa danada de bonita, sô!  E esse colar? Agora no inverno "tá pronto pra dá um show". Sobre o poder dessa carteira romântica ... prefiro ficar calada!
E vocês gostaram? Usariam? 


DAQUI
MODO DE FAZER

APRENDA A FAZER AQUI





sexta-feira, 14 de março de 2014

Amizade antistress


 Foto: ThinkStock
 DAQUI    

Segundo a colunista Márcia de Luca, as mulheres necessitam da amizade feminina para compartilhar seus dilemas enquanto mães, esposas e profissionais. Esse convívio ajuda a acalmar, reduz o stress e prolonga a vida.
Baseada em pesquisas realizadas pela médica americana Laura Cousino Klein, que afirma ser resposta feminina ao stress mais sofisticada do que a masculina pois as mulheres diante de uma situação de tensão, perigo, ansiedade ou algo assim, reagem cuidando de crianças ou buscando o apoio de pares. O organismo então, libera mais oxitocina, substância neutralizadora do stress que produz efeito calmante. "Literalmente, as amigas nos ajudam a viver mais e melhor", afirma ML. 

Que tal arrumarmos um tempo para o encontro com as amigas?

Fonte: AQUI

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Imagine um mundo colorido...


No lugar do cinza que polui,
uma imensidão de verde, salpicado de cores flores!
Substituindo a escuridão da consciência humana,
belos raios de luz imitando um arco-iris
Pisar no chão terracota rachado de seco e,
sentir os pés molhados de límpida água azul!
Crianças descobrindo cores,
saltitando de amores! 




Essa é a minha participação na BC " Semana Colorida" organizada pela  Anne Lieri do blog Menina Voadora.

Desejo a todos uma semana muuuuiiiito colorida!

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Umectação caseira: Testei e aprovei!

 

Num desses "rolezinhos" que toda mulher faz pelas páginas virtuais na busca de dicas para melhorar a beleza real, encontrei muitas receitas e relatos sobre o valor da umectação para os cabelos.
Para quem não sabe, umectar ( molhar, umedecer ) é o processo que nossas mães e avós chamavam de "dar um banho de óleo". Coisa que já fiz muito na minha adolescência com orientação de minha mãe. Ela  sempre indicava a mistura de óleo de amêndoas com gema de ovo, abacate com óleo mineral e, quando se tinha dinheiro sobrando, a mistura era de óleo cap, óleo verde e cremama, produtos que custavam caro.
Mas... o banho de óleo é histórico. Já li relatos em diários do século XIX de que as mulheres usavam enxundia de galinha. No interior, a tradição de usar tutano e toicinho cosido no feijão, ainda existe.
Se o óleo é umectante, qual o problema em usá-lo? Então, catei uma receita da moda: óleo de rícino, azeite de oliva extravirgem e mel. A indicação de uso é simples: para cabelos curtos uma colher generosa de cada ingrediente levada por alguns minutos ao banho maria para aquecer e facilitar a aplicação. Passar no cabelo divido em mechas, no sentido da raiz para as pontas, Massagear bem os fios e o couro cabeludo. Deixar agir por no mínimo duas horas ( eu deixei o dia todo ) de preferencia usando touca de alumínio. l Lavar com shampoo sem sal, finalizando com um condicionador e ou creme de pentear da sua preferência. 
Eu gostei do resultado! Senti que o frizz diminuiu e os cachos ficaram mais definidos e com peso nas pontas do cabelo. Usei shampoo duas vezes, na medida do tamanho de uma moeda de um real na palma da mão.
Fica aqui a dica. Se você já usou ou vier a usar, conte-nos sobre o resultado.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Dica para deixar o seu arroz livre, leve e solto

Hoje resolvi mostrar aqui no blog o quanto uma "panela véia é que faz comida boa"... Explico: tenho uma panela de alumínio batido que ganhei há 16 anos. Eu já sabia, pelo convívio com minha mãe, que esse é o melhor tipo de panela para se fazer um arroz caseiro bem soltinho. E como as dicas de saúde apontam alguns dedos maléficos para os recipientes de alumínio utilizados para cozinhar, decidi que o melhor é usar uma panela antiga e que tende a soltar menos material tóxico. Apesar de que todos os tipos de panela sempre apresentarão algum aspecto negativo. 
Mas deixa esse papo de panela pra lá e vamos ao que interessa: o arroz livre, leve e solto no prato... 
Minha dica é simples e já deve ser conhecida na blogosfera. Então vamos recapitular essa nossa herança cultural, do tipo de mãe para filha.



1º) Lave o arroz, porque mesmo aqueles cuja a embalagem indica que não precisa lavar, estão envolvidos em produtos químicos e podem causar desconforto (alergia). Deixe escorrer o excesso de água até os grãos estarem com aspecto de secos.

2º)  Deixe a panela de sua preferência (a minha é essa deselegante da foto) aquecer contendo no seu interior um pouco de óleo. Em seguida afogue e torre o arroz. Mexa  e remexa sempre para não queimar. 


3º) Para saber se está no ponto certo de torração, pegue um pouco na colher, levante e deixe cair. Se ficar preso à (como nas imagens abaixo) ou cair aos montes, deixe torrar um pouco mais.  





 4º) Quando o arroz escorrer da colher (como na foto abaixo) está pronto para receber o tempero e por fim a água. O meu tempero é só alho e sal. Não o afogo no óleo antes de colocar o arroz na panela porque corre o risco de queimar.


5º) Coloque água até todos os grãos ficarem totalmente submersos. Água fria. Com a panela tampada deixe a água secar uns 80% da quantidade. Desligue o fogo e cubra a panela com um pano de prato ou outro de sua preferência. Deixe a panela no minimo 30 minutos abafada. Esse arroz pré-cozido pode ser preparado no dia anterior, se guardado na geladeira.


6º) Depois do descanso, leve a panela ao fogo e cubra os grãos com água quente. Na medida que a água for secando e é necessário ir pingando aos poucos mais água, até o arroz ficar cozido e... claro super solto.




Bom gente, fica ai minha contribuição. Espero que seja útil para alguém. E você? Consegue fazer um arroz bem soltinho?  Quem souber outras dicas, me conta, ok?